A análise do VAERS do CDC, no Reino Unido, revela 5% das mortes provavelmente associadas à vac




Recentemente, um grupo de pesquisadores que trabalham no Reino Unido (Queen Mary University, University of Birmingham, Network Rail, Health Informatics and Knowledge Engineering Research Group) e Na Nova Zelândia (Massey University) realizaram um estudo, na forma de uma análise preliminar, de eventos adversos associados à vacina COVID-19. Intitulado "Análise dos relatórios de óbitos por vacinas COVID-19 dos Sistemas de Relatórios de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS)", os autores concluem com uma amostra dos dados de morte precoce relatados no VAERS — isso equivale a 250 das 1.644 mortes registradas até abril de 2021. Os autores da análise provisória perguntaram o que muitos consideram uma questão suprema aqui dada a crescente preocupação, pelo menos en