A felicidade realmente vem de graça



Os resultados sugerem que altos níveis de bem-estar subjetivos podem ser alcançados com monetização mínima, desafiando a percepção de que o crescimento econômico aumentará automaticamente a satisfação com a vida entre populações de baixa renda


O dinheiro pode realmente não ser a chave para a felicidade, de acordo com um novo estudo. Pesquisadores descobriram que pessoas que vivem em sociedades onde o dinheiro desempenha um papel limitado tendem a levar uma vida mais feliz.

O crescimento econômico é frequentemente prescrito como uma maneira segura de aumentar o bem-estar das pessoas em países de baixa renda, mas um estudo liderado por McGill e pelo Instituto de Ciências e Tecnologias Ambientais da Universitat Autònoma de Barcelona (ICTA-UAB) sugere que pode haver uma boa razão para questionar essa suposição.

Os pesquisadores se propuseram a descobrir como as pessoas avaliam seu bem-estar subjetivo em sociedades onde o dinheiro desempenha um p