Atividade cerebral pode revelar a gravidade dos traços autistas



As tarefas de sincronização interpessoal são frequentemente utilizadas no diagnóstico de transtornos do espectro autista porque as pessoas com TEA têm dificuldade em coordenar ações conjuntas.


Uma nova abordagem matemática é capaz de prever a gravidade dos traços do autismo a partir de dados de atividade cerebral.

Uma equipe de pesquisadores da Rússia e de Israel aplicou um novo algoritmo para classificar a gravidade dos traços de personalidade autista estudando a atividade cerebral dos sujeitos.