Cérebro revela o risco de desenvolver obesidade




A conectividade funcional das redes neurais associadas à saciedade e ao apetite são alteradas antes do desenvolvimento da obesidade.

A obesidade é um problema de saúde globalmente crescente, e novas intervenções para prevenir e tratar a obesidade são necessárias.

A obesidade está ligada a mudanças na sensibilidade à insulina cerebral e na função de neurotransmissor. Essas mudanças podem explicar o aumento do apetite e o excesso de comida.

"No entanto, até agora não foi determinado se essas alterações já são visíveis no cérebro antes de uma pessoa desenvolver obesidade, e se essas mudanças aumentariam o risco de obesidade futura", diz o doutorando Tatu Kantonen, do Departamento de Medicina Clínica da Universidade de Turku.

O estudo de Kantonen investigou alterações no cérebro na pré-obesidade, estudando a função de insulina, opioide e canabinoide através da imagem PET. Os participantes do estudo consistiu em 41 jovens com número variado de fatores de risco de obesidade.

Os resultados mostraram que fatores de risco relacionados à família, como obesidade ou diabetes dos pais, estiveram associados à alteração da sinalização de insulina no cérebro do sujeito, bem como à redução da função dos sistemas opioide e canabióide.

"A perturbação nas redes neurais que controlam a saciedade e o apetite podem, portanto, ser observadas já antes de uma pessoa desenvolver obesidade, e essas alterações cerebrais estão ligadas a fatores de risco relacionados à família da obesidade. Os resultados podem ter implicações para o desenvolvimento de intervenções de prevenção e tratamento para a obesidade. Eles mostram que o cérebro e o sistema nervoso central são alvos importantes no tratamento da obesidade", diz Kantonen.

“Obesity risk is associated with altered cerebral glucose metabolism and decreased μ-opioid and CB1 receptor availability” by Tatu Kantonen et al. International Journal of Obesity



169 visualizações0 comentário