Candidatos ao Green Card em breve precisarão da vacina COVID-19 para serem elegíveis:



CDC



Exigência entra em vigor em 1º de outubro


A maioria dos candidatos ao green card precisará se vacinar contra o vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) e ter a prova da vacinação para ser elegível para residência permanente nos Estados Unidos a partir de 1º de outubro, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

A nova orientação do CDC se aplicaria aos imigrantes que vivem nos Estados Unidos que buscam solicitar um green card.

"A vacinação COVID-19 atende agora aos critérios de vacinação necessárias e é um requisito para os candidatos elegíveis para a vacina", afirmouo CDC em seusite.

A agência disse que uma triagem negativa para o COVID-19, doença causada pelo vírus CCP, não garante que eles não terão a doença quando se tornarem residentes permanentes.

"Uma combinação de práticas de vacinação e controle de infecções de rotina fornecerá a melhor proteção do COVID-19 para os candidatos e comunidades dos EUA", afirmou o CDC.

Sendo assim, o requerente do green card "deve completar a série de vacinas COVID-19 e fornecer documentação de vacinação ao cirurgião civil pessoalmente" como parte de seu exame médico. O CDC enfatizou que "doses de vacina autorretrato sem documentação escrita não são aceitáveis".

O CDC também observou que os candidatos são obrigados a receber a vacina "independentemente de evidências de imunidade ou infecção anterior do COVID-19".

"Os exames laboratoriais para imunidade COVID-19 não devem ser utilizados para o exame do cirurgião civil. ... A duração da imunidade devido à infecção natural ainda está sendo investigada e pode não proteger o requerente durante todo o processo de imigração", afirmou a agência em seu site.

Algumas isenções

De acordo com o CDC, o COVID-19 "atende à definição de doença transmissível em quarentena" e especificamente "a definição de síndromes respiratórias agudas graves" sob a Ordem Executiva Presidencial 13674, tornando-a uma "Condição Inadmissível classe A". A recusa vacinal sem uma razão adequada tornaria in