CDC mudou definição de 'v@cin@' por causa de v@cs C0V1D-19: E-mails




Por Zachary Stieber

3 de novembro de 2021

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC)alteraram a definição de "vac" por preocupação de que a definição não se aplicasse às vacs CVD-19, de acordo com e-mails internos recém-divulgados.

A agência atualizou sua definição em 1º de setembro.

A definição era anteriormente: "Um produto que estimula o sistema imunológico de uma pessoa a produzir imunidade a uma doença específica, protegendo a pessoa dessa doença." Essa definição agora diz: "Uma preparação que é usada para estimular a resposta imune do corpo contra doenças."

Um funcionário do CDC em agosto, pouco antes da definição ser alterada, disse que a definição estava sendo usada por "negadores de pandemia COVID-19 de direita ... para argumentar que as vacinas mRNA não são vacinas", de acordo com os e-mails recém-publicados.

As vacinas Pfizer e Moderna COVID-19 utilizam a tecnologia RNA mensageiro. Todas as três vacinas COVID-19 autorizadas para uso nos Estados Unidos despencam em eficácia contra a infecção vários meses após recebê-las, depois de inicialmente serem promovidas como proteção contra infecções e doenças graves.

A definição "foi distorcida para afirmar que as vacinas COVID-19 existentes não eram vacinas porque só previnem doenças graves", disse o funcionário do CDC.

Alycia Downs, especialista em comunicação de saúde da agência, mandou uma mensagem para uma colega em 19 de agosto, dizendo que ela precisava atualizar a definição e outras como ela, "uma vez que essas definições estão desatualizadas e sendo usadas por alguns para dizer que as vacinas COVID-19 não são vacinas por definição própria do CDC".

Downs não recebeu uma resposta, então ela mandou uma mensagem novamente na semana seguinte.

"A definição de vacina que postamos é problemática e as pessoas estão usando-a para alegar que a vacina COVID-19 não é uma vacina baseada em nossa própria definição", escreveu ela.

Valerie Morelli, outra funcionária do CDC, aprovou a mudança em 1º de setembro, embora pareça diferir muito de uma definição que ela havia estabelecido em um documento anterior(pdf).

"Se isso é para o público em geral, estou bem com a mudança", escreveu Morelli.

Os e-mails foram obtidos pelo advogado Travis Miller através de um pedido de Lei de Liberdade de Informação. O CDC não contestou sua autenticidade.

Em vez disso, a agência enviou ao The Epoch Times a mesma resposta que recebeu no início de 2021, quando perguntou sobre a mudança. A agência afirmou que as "pequenas mudanças na redação" para a definição "não impactaram a definição geral" e que a definição anterior "poderia ser interpretada como significa que as vacinas eram 100% eficazes, o que nunca foi o caso de qualquer vacina, de modo que a definição atual é mais transparente, e também descreve as maneiras pelas quais as vacinas podem ser administradas".

Outras partes do site do CDC ainda dizem que as vacinas COVID-19 concedem imunidade.

"Normalmente, leva 2 semanas após a vacinação para o corpo construir proteção (imunidade) contra o vírus que causa o COVID-19", diz o site.


637 visualizações0 comentário