Esses exercícios cognitivos ajudam crianças a aumentar suas habilidades matemáticas


As crianças mostram melhor habilidade em suas habilidades matemáticas quando são treinadas para praticar tarefas visuais de memória e raciocínio.

Fonte: Instituto Karolinska

Crianças pequenas que praticam tarefas visuais de memória e raciocínio melhoram suas habilidades matemáticas mais do que crianças que se concentram em exercícios de rotação espacial, de acordo com um grande estudo realizado por pesquisadores do Instituto Karolinska, na Suécia. Os achados apoiam a noção de que a cognição espacial de treinamento pode melhorar o desempenho acadêmico e que, quando se trata de matemática, o tipo de treinamento importa.

O estudo foi publicado na revista Nature Human Behavior.

"Neste grande estudo randomizado, descobrimos que, quando se trata de melhorar a aprendizagem matemática em crianças pequenas, o tipo de treinamento cognitivo realizado desempenha um papel significativo", diz o autor correspondente Torkel Klingberg, professor do Departamento de Neurociências do Instituto Karolinska.

"É um achado importante porque fornece fortes evidências de que o treinamento cognitivo transfere para uma habilidade diferente da que você praticou."

Inúmeros estudos associaram a capacidade espacial – que é a capacidade de compreender e lembrar as relações dimensionais entre os objetos – ao desempenho em ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Como resultado, alguns empregadores nesses campos usam testes de habilidade espacial para vetar candidatos durante o processo de contratação.

Isso também alimentou o interesse pelo treinamento de cognição espacial, que se concentra em melhorar a capacidade de memorizar e manipular várias formas e objetos e detectar padrões em sequências recorrentes. Algumas escolas hoje incluem exercícios espaciais como parte de sua tutoria.

No entanto, estudos anteriores que avaliam o efeito da formação espacial no desempenho acadêmico tiveram resultados mistos, com alguns apresentando melhora significativa e outros sem efeito algum. Assim, há a necessidade de estudos grandes e randomizados para determinar se e até que ponto o treinamento de cognição espacial realmente melhora o desempenho.

Neste estudo, mais de 17.000 escolares suecos entre seis e oito anos concluíram o treinamento cognitivo por meio de um aplicativo para 20 ou 33 minutos por dia ao longo de sete semanas.

Na primeira semana, as crianças receberam exercícios idênticos, após os quais foram divididas aleatoriamente em um dos cinco planos de treinamento. Em todos os grupos, as crianças passavam metade do tempo em tarefas de linha de números matemáticos.

O tempo restante foi atribuído aleatoriamente a diferentes proporções de treinamento cognitivo na forma de tarefas de rotação (rotação mental 2D e quebra-cabeça tangram), tarefas de memória de trabalho visual ou tarefas de raciocínio não verbal (veja exemplos abaixo para detalhes). O desempenho matemático das crianças foi testado na primeira, quinta e sétima semana.

Os pesquisadores descobriram que todos os grupos melhoraram no desempenho matemático, mas que o treinamento de raciocínio teve o maior impacto positivo seguido de tarefas de memória de trabalho. Tanto o raciocínio quanto o treinamento de memória superaram significativamente o treinamento de rotação quando se tratava de melhoria matemática.

Eles também observaram que os benefícios do treinamento cognitivo poderiam diferir três vezes entre os indivíduos. Isso poderia explicar as diferenças nos resultados de alguns estudos anteriores, visto como características individuais dos participantes do estudo tendem a impactar os resultados.

Os pesquisadores observam que houve algumas limitações ao estudo, incluindo a falta de um grupo de controle passivo que permitiria uma estimativa do tamanho do efeito absoluto. Além disso, este estudo não incluiu um grupo de alunos que receberam apenas treinamento de matemática.

"Embora seja provável que, para qualquer teste, o treinamento sobre essa habilidade específica seja a maneira mais eficaz de melhorar os resultados dos testes, nosso estudo oferece uma prova de princípio de que o treinamento cognitivo espacial transfere para habilidades acadêmicas", diz Torkel Klingberg.

"Dada a ampla gama de áreas associadas à cognição espacial, é possível que o treinamento se transfira para várias áreas e acreditamos que isso deve ser incluído em qualquer cálculo por professores e formuladores de políticas de como o treinamento espacial com eficiência temporal é relativo ao treinamento para um determinado teste."


Os pesquisadores receberam financiamento do Conselho Sueco de Pesquisa. Torkel Klingberg ocupa uma posição não remunerada como diretor científico da Cognition Matters, a fundação sem fins lucrativos que possui o aplicativo de treinamento de cognição Vektor que foi usado neste estudo.

Exemplos de tarefas de treinamento no estudo

· Em uma tarefa de linha numérica, uma pessoa é solicitada a identificar a posição certa de um número em uma linha vinculada por um início e um ponto final. A dificuldade é tipicamente moderada pela remoção de pistas espaciais, por exemplo, marcador na linha numérica, e progresso para incluir problemas matemáticos como adição, subtração e divisão.

· Em uma tarefa de memória de trabalho visual, uma pessoa é solicitada a lembrar objetos visuais. Neste estudo, as crianças reproduziram uma sequência de pontos em uma grade tocando a tela. A dificuldade foi aumentada adicionando mais itens.

· Em uma tarefa de raciocínio não verbal, uma pessoa é solicitada a completar sequências de padrões espaciais. Neste estudo, as crianças foram solicitadas a escolher a imagem correta para preencher um espaço em branco com base em sequências anteriores. A dificuldade foi aumentada adicionando novas dimensões, como cores, formas e pontos.

· Em uma tarefa de rotação, uma pessoa é solicitada a descobrir como um objeto seria se girasse. Neste estudo, as crianças foram solicitadas a girar um objeto 2D para se adequarem a vários ângulos. A dificuldade foi moderada pelo aumento do ângulo da rotação ou da complexidade do objeto sendo girado.

· “Training spatial cognition enhances mathematical learning in a randomized study of 17,000 children” by Nicholas Judd, Torkel Klingberg. Nature Human Behavior


255 visualizações0 comentário