Prêmio Nobel: Vacinação em massa do COVID é um 'erro inaceitável' que está 'criando as variantes!



Em todos os países, "a curva da vacinação é seguida pela curva de óbitos", disse o famoso virologista.

Quarta-feira 19 de maio de 2021

O virologista francês e ganhador do Prêmio Nobel Luc Montagnier chamou a vacinação em massa contra o coronavírus durante a pandemia de "impensável" e um erro histórico que está "criando as variantes" e levando à morte da doença.

"É um erro enorme, não é? Um erro científico, bem como um erro médico. É um erro inaceitável", disse Montagnier em uma entrevista traduzida e publicada pela RAIR Foundation USA ontem. "Os livros de história vão mostrar isso, porque é a vacinação que está criando as variantes."

Muitos epidemiologistas sabem disso e estão "em silêncio" sobre o problema conhecido como "aprimoramento dependente de anticorpos", disse Montagnier.

"São os anticorpos produzidos pelo vírus que permitem que uma infecção se torne mais forte", disse ele em entrevista a Pierre Barnérias, da Hold-Up Media, no início deste mês.

Vacinação levando a variantes

Muitos epidemiologistas sabem disso e estão "em silêncio" sobre o problema conhecido como "aprimoramento dependente de anticorpos", disse Montagnier.

"São os anticorpos produzidos pelo vírus que permitem que uma infecção se torne mais forte", disse ele em entrevista a Pierre Barnérias, da Hold-Up Media, no início deste mês.

Vacinação levando a variantes

"É claro que as novas variantes são criadas por seleção mediada por anticorpos devido à vacinação."

Vacinar durante uma pandemia é "impensável" e está causando mortes, o vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 2008 pela descoberta

'Mortes seguem vacinação'

"As novas variantes são uma produção e resultado da vacinação. Você vê isso em cada país, é a mesma coisa: em todos os países as mortes seguem a vacinação", disse ele.

Um vídeo publicado na semana passada no YouTube usa dados do Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde da Universidade de Washington para ilustrar os picos de mortes em vários países do mundo após a introdução da vacinação COVID, confirmando a observação de Montagnier.

O entrevistador francês apontou dados da Organização Mundialda Saúde(OMS) mostrando que desde que as vacinas foram introduzidas em janeiro, novas infecções contaminam "explodiram", juntamente com as mortes, "notadamente entre os jovens".

"Sim", concordou Montagnier, que é professor na Universidade de Xangai Jiao Tong. "Com trombose, etc."

A trombose – ou coágulos sanguíneos – tem sido um problema inesperado ligado às novas vacinas contra o coronavírus e à causa da retirada da vacina da AstraZeneca em vários países. A chefe da agência de saúde pública do Canadá, Theresa Tam, disse em uma coletiva de imprensa na terça-feira que existem agora 21 casos confirmados de trombocitopenia trombótica induzida por vacinas, ou VITT, incluindo entre três mulheres que morreram de transtorno de coagulação sanguínea potencialmente ligada à vacina da AstraZeneca e outros 13 casos estão sob investigação.

Casos inovadores

Montagnier disse que está atualmente realizando pesquisas com aqueles que foram infectados pelo coronavírus após a realização da vacina. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças informaram em abril que receberam 5.800 relatos de pessoas que tiveram COVID "inovador" após serem vacinadas, incluindo 396 pessoas que necessitaram de internação e 74 pacientes que morreram.

"Vou mostrar que eles estão criando as variantes resistentes à vacina", disse Montagnier.

Coronavírus feito em laboratório

O famoso virologista francês criou ondas em abril de 2020 quando disse a uma emissora de televisão francesa que acreditava que o SARS-CoV2, o novo coronavírus pandêmico, era feito pelo homem em um laboratório. A "presença de elementos de HIV e germe da malária no genoma do coronavírus é altamente suspeita e as características do vírus não poderiam ter surgido naturalmente", disse ele.

Embora tenha sido ridicularizado por especialistas franceses por ter "uma visão conspiratória que não se relaciona com a ciência real", Montagnier publicou um artigo em julho de 2020 apoiando suas alegações de que o novo coronavírus deve ter se originado da experimentação humana em um laboratório – uma teoria que recentemente ressurgiu e atualmente é considerada a origem mais provável do vírus.



5,643 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo