top of page

O ChatGPT poderia substituir os médicos em cenários de consultoria de infecção?

Atualizado: 23 de fev. de 2023




Curiosamente, a IA tendeu a se concentrar no tipo de antibiótico prescrito em cada cenário, em vez de outros fatores, refletindo as suposições muitas vezes feitas inicialmente pelos médicos durante a consulta.


Embora haja um claro potencial para usar o ChatGPT em um ambiente clínico, os pesquisadores dizem que o algoritmo de IA pode ainda não ser uma maneira confiável de substituir o médico de família, especialmente quando se trata de tomar decisões eficazes sobre a prescrição de antibióticos para infecções.

Fonte: Universidade de Liverpool

Pesquisadores da Universidade de Liverpool testaram se o chatbot ChatGPT, alimentado por IA, poderia ser usado para tomar decisões sobre a prescrição de pacientes com antibióticos.

Em uma carta publicada no The Lancet Infectious Diseases, acadêmicos do Instituto de Sistemas, Biologia Molecular e Integrativa mostram que, embora a inteligência artificial ainda não possa substituir o médico de família, há um claro potencial para a tecnologia desempenhar um papel na prática clínica.

Os pesquisadores apresentaram ao ChatGPT oito cenários hipotéticos de infecção sobre os quais as pessoas comumente consultariam seu médico (como uma infecção no peito). Em seguida, avaliaram os conselhos fornecidos pela tecnologia quanto à sua adequação, consistência e impacto na segurança do paciente.

A avaliação descobriu que o ChatGPT entendeu os cenários e forneceu respostas coerentes, incluindo isenções de responsabilidade e sinalização de pacientes para fontes de aconselhamento. Também pareceu entender a necessidade de prescrever antibióticos apenas quando havia evidências de infecção bacteriana.

No entanto, o ChatGPT forneceu conselhos inseguros em cenários complexos e onde informações importantes não foram explicitamente fornecidas.

Curiosamente, a IA tendeu a se concentrar no tipo de antibiótico prescrito em cada cenário, em vez de outros fatores, refletindo as suposições muitas vezes feitas inicialmente pelos médicos durante a consulta.

Após o experimento, os pesquisadores desenvolveram uma lista de verificação para os padrões que a IA deve atender para ser considerada para uso na prática clínica no futuro.

Coautor da carta, o Dr. Alex Howard disse: "Foi fascinante ver o potencial da inteligência artificial nos cuidados de saúde demonstrado através deste experimento testando a capacidade do ChatGPT de dar conselhos de tratamento com antibióticos".

"Com o aumento da resistência aos antibióticos representando uma ameaça significativa para a saúde global, a capacidade da IA de fornecer conselhos de tratamento precisos e seguros pode revolucionar a maneira como abordamos o atendimento ao paciente. Estamos ansiosos para uma maior exploração desta tecnologia e suas implicações para o futuro dos cuidados de saúde."

Author: Press Office

Source: University of Liverpool

Contact: Press Office – University of Liverpool

Original Research: Open access.

“ChatGPT and antimicrobial advice: the end of the consulting infection doctor?” by Alex Howard et al. Lancet Infectious Diseases

150 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page