O exercício como prescrição primária para transtornos de saúde mental deve ser abordado com cautela

Refutação de um Artigo


Recentemente foi publicado um artigo que afirmava que o exercício deveria ser a nova prescrição primária para transtornos de saúde mental, no entanto, a partir de agora há uma série de razões pelas quais este não deveria ser o caso. Embora o exercício tenha mostrado benefícios comprovados em indivíduos com vários transtornos, apenas a depressão tem evidências adequadas para sugerir que o exercício pode potencialmente substituir a psicoterapia ou a medicação. Até que uma pesquisa mais minuciosa seja conduzida sobre uma infinidade de transtornos, o exercício precisa ser promovido juntamente com as terapias tradicionais ou feito caso a caso, se for para ser o único tratamento.