top of page

O Perigo do Flúor na água e nos alimentos que você consome! Veja na América.




Caso revela tentativas do governo de limitar as evidências disponíveis sobre a toxicidade potencial da fluoretação da água

Quando muitos de nós acreditamos que o Sistema está trabalhando para te deixar saudável, mas não é assim que as coisas funcionam, quando interesses estão por trás das aparências. Quantas vezes os turistas chegam nos EUA e contam que podem tomar água da torneira sem se preocupar com contaminação biológica. Sim, mas e a química? Então este artigo vai te levar ao conhecimento de como o sistema te manipula em termos de cuidado de purificação de água e as doenças que advém do uso do Flúoride ou Flúor como conhecemos e os seus males, além de te ensinar como prevenir, você que mora nos EUA ou no Brasil, vem comigo


A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) continua a se opor e atrasar uma ação movida contra eles pela Fluoride Action Network (FAN) para proibir o uso de flúor no abastecimento público de água nos Estados Unidos.

O caso revelou que o governo tenta limitar as evidências disponíveis e evitar que os fatos da fluoretação da água sejam revisados no tribunal. Um porta-voz da FAN disse ao em um e-mail: "isso representa uma grande reversão na posição das agências federais e garantirá que o público tenha acesso a esses documentos críticos que, de outra forma, teriam permanecido enterrados para sempre. "

A exposição ao flúor tem sido associada a um risco aumentado de hipotireoidismo em mulheres grávidas e distúrbios cerebrais em seus descendentes. Há também descobertas de que a maior exposição ao flúor está associada à redução do QI em crianças.


Da petição à ação judicial


O processo começou em 2017, depois que uma petição apresentada em novembro de 2016 pediu à EPA que "protegesse o público e as subpopulações suscetíveis dos riscos neurotóxicos do flúor, proibindo a adição de produtos químicos de fluoretação à água".

A petição fez referência a mais de 2.500 páginas de documentação científica detalhando os riscos da fluoretação da água para a saúde humana, incluindo mais de 180 estudos publicados mostrando que o flúor está ligado à redução do QI e danos neurotóxicos.

Em sua resposta de 27 de fevereiro de 2017, a EPA alegou que a petição não havia "estabelecido uma base cientificamente defensável para concluir que qualquer pessoa sofreu danos neurotóxicos como resultado da exposição ao flúor" e negou a alegação.

A Lei de Controle de Substâncias Tóxicas aprovada em 2016 inclui estatutos que fornecem aos cidadãos a capacidade de desafiar uma negação da EPA em um tribunal federal. Assim, em 2017, a FAN, a Food & Water Watch e a Organic Consumers Association entraram com uma ação contra a EPA contestando a negação.

Após numerosos atrasos legais provocados pela APE, os últimos desenvolvimentos no caso em curso incluem:

· O juiz Edward M. Chen, do Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Norte da Califórnia, rejeitou o pedido da EPA de um atraso de seis meses no julgamento.

· E-mails internos divulgados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) indicam que a secretária assistente de saúde do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Rachel Levine, e o diretor do Instituto Nacional de Saúde, Lawrence A. Tabak, intervieram para impedir a divulgação do estudo mais recente sobre a toxicidade do flúor pelo Programa Nacional de Toxicologia (NTP).

· Chen suspendeu uma suspensão da ordem de proteção que protegeu o recente estudo do NTP sobre a toxicidade do flúor da liberação após uma intimação emitida em janeiro de 2023.

Mais recentemente, em uma reunião de 3 de fevereiro, o Instituto Nacional de Ciências da Saúde Ambiental concordou em publicar e tornar público o Relatório de Toxicidade por Flúor do NTP no site do NTP em ou antes de 15 de março.

Os documentos postados incluirão o mais recente Relatório de Toxicidade de Flúor intimado, comentários fornecidos pelo Conselho de Conselheiros Científicos, as respostas subsequentes do NTP e uma meta-análise relacionada. É possível que esses documentos possam desempenhar um papel importante na segunda fase de julgamento da batalha legal em curso.


Interferência de agências governamentais


E-mails internos do CDC obtidos através da Lei de Liberdade de Informação pelo advogado queixoso Michael Connett mostraram discussões e comentários relacionados ao Relatório de Toxicidade por Flúor não divulgado do NTP.

Os e-mails parecem indicar que o relatório do NTP não foi tornado público devido à interferência de Levine e Tabak.

Um e-mail do CDC datado de 3 de junho de 2022 afirmou especificamente: "ASH [Secretário Adjunto de Saúde] Levine colocou o relatório em espera até novo aviso".

No aviso enviado, Connett declarou: "Esses e-mails confirmam que o NTP considerou a monografia de maio de 2022 como o relatório final do NTP. Eles também confirmam que o CDC se opôs à divulgação do relatório pelo NTP, e que a liderança nos níveis mais altos do Departamento de Saúde e Serviços Humanos interveio para impedir que o relatório fosse divulgado.


Efeitos nocivos do flúor


No passado, os produtos químicos de fluoretação foram obtidos a partir dos sistemas de lavagem úmida da indústria de fertilizantes fosfatados e adicionados a muitos suprimentos públicos de água nos Estados Unidos para reduzir a cárie dentária. Agora é reconhecido por pesquisadores odontológicos que o principal benefício do flúor vem da aplicação tópica e não precisa ser engolido para prevenir a cárie dentária.

A FAN afirma que "nos últimos anos, no entanto, um número crescente de departamentos de água começou a comprar seus produtos químicos de flúor da China. Com base em incidentes recentes, parece que o controle de qualidade dos produtos químicos chineses é ainda mais frouxo e variável do que os produtos químicos produzidos nos EUA.

A Revisão Sistemática de 2019 do NTP da Exposição ao Flúor e do Neurodesenvolvimento e dos Efeitos da Saúde Cognitiva concluiu que "... presume-se que o flúor seja um risco cognitivo para o neurodesenvolvimento para os seres humanos." Eles afirmam que "Esta conclusão é baseada em um padrão consistente de descobertas em estudos em humanos em várias populações diferentes, mostrando que a maior exposição ao flúor está associada à diminuição do QI ou a outras deficiências cognitivas em crianças".

Esta conclusão é consistente com os 180 estudos publicados mostrando que o flúor causa danos neurotóxicos e reduz o QI citado na petição de 2016 à EPA.

Além disso, em 2014, o flúor foi adicionado a uma lista de produtos químicos conhecidos por causar neurotoxicidade do desenvolvimento em seres humanos em uma revisão publicada pela The Lancet.

Recentemente, um estudo sobre a toxicidade do flúor publicado na Science of the Total Environment em fevereiro de 2023 por cientistas da Universidade York de Toronto, ligou a exposição ao flúor a um risco aumentado de hipotireoidismo em mulheres grávidas.

A condição de hipotireoidismo, também conhecida como "tireoide subativa", acontece quando a glândula tireoide não produz hormônio tireoidiano suficiente. O hipotireoidismo é uma causa conhecida de distúrbios cerebrais em crianças.

A capacidade do flúor de suprimir a tireoide tem sido documentada desde a década de 1930, quando foi usado em um produto chamado fluorotirosina, fabricado pela empresa farmacêutica alemã Bayer para tratar a tireoide hiperativa, também conhecida como hipertireoidismo.


Como reduzir a exposição ao flúor


O flúor pode ser encontrado na água da torneira, cremes dentais, alimentos cultivados não organicamente, pesticidas usados na agricultura, produtos odontológicos e muitos outros produtos comumente usados.

Algumas fontes comuns de flúor incluem:

· Bebidas engarrafadas (devido ao teor de flúor na água).

· Creme dental, enxaguante bucal e outros produtos de higiene dental.

· Chá preto, chá vermelho e outros chás.

· Alimentos enlatados.

· Sal-gema preto/vermelho.

· Mascar tabaco.

· Suplementos (sempre verifique os rótulos).

·

Alguns passos simples e eficazes para evitar a exposição ao flúor:


· Instale um sistema de filtragem de água que remova o flúor da água potável e do chuveiro. O flúor no abastecimento de água da cidade pode ser uma causa não reconhecida de hipotireoidismo nos Estados Unidos.

· Use creme dental não fluoretado. Creme dental sem flúor e enxaguatório bucal sem flúor estão disponíveis na maioria das lojas hoje.

· Verifique os rótulos dos alimentos processados e produtos de limpeza doméstica.

· Esteja atento a medicamentos e suplementos que podem conter flúor.

A batalha da Fluoride Action Networks contra a EPA continua na próxima audiência judicial agendada para 11 de abril de 2023.

Todos os documentos judiciais relativos ao julgamento podem ser consultados aqui.


The Lancet Neurology


REVIEW| VOLUME 13, ISSUE 3, P330-338, MARCH 2014

PDF [609 KB]

Neurobehavioural effects of developmental toxicity


Dr Philippe Grandjean, MD

Philip J Landrigan, MD

Published:March, 2014DOI:https://doi.org/10.1016/S1474-4422(13)70278-3

PlumX Metrics

Comentarios


bottom of page