top of page

Podem os sons retardarem a doença de Parkinson?




Eu ouvi você mencionar como certos tipos de conotações sonoras podem aparentemente retardar a progressão da doença de Parkinson. Que tipo de música ativa o sistema de cura do corpo? O que mais você recomenda para parar ou retardar a progressão da doença?

Responder:

A doença de Parkinson é um processo neurológico degenerativo que afeta a "substância negra", uma pequena área de células no mesencéfalo. A perda dessas células resulta em uma redução nos níveis do neurotransmissor dopamina e perturba o equilíbrio entre a dopamina e outro produto químico do cérebro, a acetilcolina.

Os sinais mais familiares da doença são tremor de repouso (tremor) dos braços, pernas, mandíbula e rosto que diminuem com o movimento; lentidão generalizada do movimento; rigidez nos membros e tronco; expressões faciais rígidas; e problemas de equilíbrio ou marcha. A função mental pode se deteriorar em casos avançados, e a depressão é comum.

Vários pequenos estudos sugeriram que a musicoterapia pode retardar a progressão da doença de Parkinson. Um dos ensaios clínicos mais conhecidos, da Itália, descobriu que a musicoterapia afetou positivamente o movimento, as emoções e a qualidade de vida entre um pequeno grupo de pacientes.

Outra pesquisa sugeriu que alguns tipos de música podem estimular a produção de dopamina e serotonina e outros neuroquímicos envolvidos na doença de Parkinson. Não há um tipo de música que ajude a todos. Os musicoterapeutas relatam que, com cada paciente, eles devem tentar vários ritmos ou estilos musicais para ver quais ajudam na caminhada, equilíbrio e movimento.

No entanto, às vezes a música lenta e rítmica pode ajudar a promover o relaxamento e o sono entre os pacientes que, de outra forma, seriam acordados por movimentos involuntários.

Considere trabalhar com um musicoterapeuta para investigar se a música beneficia você (para saber mais, visite a Associação Americana de Musicoterapia em www.musictherapy.org). Por conta própria, no entanto, você pode ouvir vários tipos de música para ver o que o ajuda a se mover, solicita que você cante (e, assim, fortaleça sua voz) ou o ajude a relaxar e dormir.

Embora não haja cura para o Parkinson, uma variedade de drogas, incluindo L-Dopa (Levodopa) e Sinemet (Carbidopa) pode retardar sua progressão e ajudar a gerenciar os sintomas. L-dopa é convertida em dopamina no cérebro. Sinemet impede que a l-dopa seja quebrada antes de chegar ao cérebro.

Os resultados de um pequeno estudo (com apenas 80 participantes) na Universidade da Califórnia-San Diego sugerem que tomar 1.200 mg por dia de coenzima Q10 (CoQ10) também pode ajudar a retardar a progressão da doença em seus estágios iniciais, embora estas sejam doses muito altas e suplementos de qualidade podem ser bastante caros. Antes que possamos dizer com certeza que a CoQ10 ajuda, os resultados devem ser confirmados em estudos maiores.

Para outras dicas sobre como gerenciar a doença de Parkinson, consulte o site da American Parkinson Disease Association em www.apdaparkinson.org.


Outra forma de lidar com o Processo Degenerativo pode vir de Terapia Biofotônica e Biorresonância, tipo Aquera, para maiores informações consulte www.aquera.org




bottom of page