Quando a Dor é mais do que um Sintoma


Tenho deparado com muitos pacientes que me procuram através dos diversos meios, se queixando de dores em diversas partes do corpo. Pessoas que antes da Pandemia eram saudáveis e pela imobilidade crônica destes meses confinados estão apresentando uma série de fenômenos dolorosos. Meu conselho imediato é : - Não deixe de procurar o Médico. Não fiquem presos em casa quando a solução está nos consultórios. Embora o que eu estou falando pareça ser provocante, mas o risco maior hoje é deixar de se tratar, e no campo das doenças Neurológicas e Neurocirúrgicas o fator TEMPO é imperdoável. Não tenham medo de sair de casa e viver, pois o confinamento leva ao adoecimento físico e mental. Espalhem esta boa notícia a todos que vocês conheçam. Eu gostaria de atender a todos, mas meu trabalho está no Rio de Janeiro e vocês são muito bem vindos aqui. Vamos lá!

            O Conceito de Dor pela OMS é de : Uma experiência sensorial e emocional desagradável que é associada ou descrita em termos de lesões teciduais.

A dor é uma condição indispensável à vida. Usada pelos povos não hindus como uma fonte de sofrimento ou punição.

         A dor é atualmente aceita como um sinal de alerta à integridade física ou funcional de todos nós. Isto faz com que tomemos determinadas providências no sentido de adotar medidas preventivas ou frear lesões mais graves. Não existe nada que arrase mais a alma humana que a dor. Todos nós em pelos menos um estágio da nossa vida iremos experimentar uma sensação desagradável dolorosa, sensação esta que pode nos trazer uma incapacidade temporária ou crônica. Quando a dor permanece por tempo prolongado pode trazer conseqüências físicas e psíquicas severas e permanentes. Várias vezes em clínica de dor observamos que o agente causal fora tratado, e o fenômeno doloroso perpetuado, como se tivesse vida própria. É preciso Ter um cuidado especial com o paciente com DOR. Muitas possibilidades terapêuticas existem e são aplicadas. Muitas variáveis medicamentosas com efeito temporário estão disponíveis em todas as prateleiras farmacêuticas mundo afora. Apesar de todo este esforço muito ainda está por vir tanto no modelo fisiopatológico (o modo exato como qualquer sintoma ou doença acontece do começo ao fim , quais os órgãos , tecidos , células , neurotransmissores envolvidos ) e no campo terapêutico precisa ser entendido. Falando em neurotransmissores é preciso esclarecer o que isto quer dizer: