Tremor - Tem Cura

Imagine não ser capaz de segurar um copo, amarrar o laço de seu sapato ou preencher um cheque. Para pessoas com a doença de movimento, conhecida como tremor essencial, tarefas simples que requerem uma boa coordenação motora, tornam-se extremamente difíceis, muitas vezes até impossíveis. Três vezes mais prevalente do que a doença de Parkinson, os tremores essenciais envolvem tremores incontroláveis das mãos, braços, cabeça ou voz. A condição neurológica hereditária pode começar quando se é adulto jovem e piorar com a idade. Em um esforço para auxiliar médicos e pacientes a lidarem melhor com o tremor essencial, a American Academy of Neurology publicou o primeiro manual de orientação para o seu tratamento. Drogas específicas, comumente usadas para tratar pressão sangüínea alta e convulsões, podem ser benéficas no tratamento do tremor essencial, de acordo com as orientações. “Tremor essencial pode ser debilitante e causar embaraço em situações sociais. Por exemplo, em um restaurante, a pessoa pode ter dificuldade em comer, quando tentar pegar um garfo ou uma colher e levar a comida até a boca”, diz a principal autora do manual, Theresa Zesiewicz, MD, professora associada de neurologia da University of South Florida (USF) College of Medicine. O manual reviu 211 artigos para fazer as recomendações baseadas em evidências para o tratamento de tremor essencial. Constatou-se que o propranolol, propranolol de longa-duração (LA) e primidona reduzem, significativamente, tremores dos membros e foram muito recomendados nas diretrizes. Propranolol é também usado para tratar alta pressão sangüínea. Primidona é um medicamento anti-convulsivo. Propranolol e primidona foram também recomendados para tremores na cabeça, embora não tão intensamente quanto foi recomendado para tremores dos membros. A análise também encontrou evidências que encorajam o uso de outros medicamentos para tratar tremores dos membros. Sotalol ou atenolol – drogas usadas para regular pressão sangüínea – podem ser usadas como alternativas para o propranolol e primidona. As drogas anti-convulsivas gabapentina (como monoterapia) e topiramato também foram recomendadas. O painel descobriu moderada evidência para recomendar injeções de toxina A botulínica para tremores de membros, cabeça ou voz. A cirurgia pode ser recomendada se o tratamento com drogas for ineficiente para tremores dos membros. Estimulação cerebral profunda tem complicações menos severas do que talamotomia, de acordo com a diretriz. Na estimulação cerebral profunda, um ELETRODO finíssimo é colocado dentro do tálamo, o que ajuda a bloquear os impulsos que causam tremores. A talamotomia lesiona uma pequena parte do tálamo, o que ajuda a suspensão dos sinais que causam tremores. “Ambas as cirurgias foram mais eficientes do que os medicamentos na melhoria dos tremores, reduzindo sua intensidade em60 a 90%, comparado com 50% ou menos para os medicamentos”, disse Dr. Zesiewicz. “Entretanto, pacientes que se submeteram à cirurgia tiveram mais efeitos colaterais adversos e, portanto, o procedimento é apenas recomendado para aqueles que não respondem aos medicamentos”. O painel descobriu evidências insuficientes para recomendar estimulação cerebral profunda para tratar tremor de cabeça ou voz.  TREMOR ESSENCIAL Imagine não ser capaz de segurar um copo, amarrar o laço de seu sapato ou preencher um cheque. Para pessoas com a doença de movimento, conhecida como tremor essencial, tarefas simples que requerem uma boa coordenação motora, tornam-se extremamente difíceis, muitas vezes até impossíveis. Três vezes mais prevalente do que a doença de Parkinson, os tremores essenciais envolvem tremores incontroláveis das mãos, braços, cabeça ou voz. A condição neurológica hereditária pode começar quando se é adulto jovem e piorar com a idade. Em um esforço para auxiliar médicos e pacientes a lidarem melhor com o tremor essencial, a American Academy of Neurology publicou o primeiro manual de orientação para o seu tratamento. Drogas específicas, comumente usadas para tratar pressão sangüínea alta e convulsões, podem ser benéficas no tratamento do tremor essencial, de acordo com as orientações. “Tremor essencial pode ser debilitante e causar embaraço em situações sociais. Por exemplo, em um restaurante, a pessoa pode ter dificuldade em comer, quando tentar pegar um garfo ou uma colher e levar a comida até a boca”, diz a principal autora do manual, Theresa Zesiewicz, MD, professora associada de neurologia da University of South Florida (USF) College of Medicine. O manual reviu 211 artigos para fazer as recomendações baseadas em evidências para o tratamento de tremor essencial. Constatou-se que o propranolol, propranolol de longa-duração (LA) e primidona reduzem, significativamente, tremores dos membros e foram muito recomendados nas diretrizes. Propranolol é também usado para tratar alta pressão sangüínea. Primidona é um medicamento anti-convulsivo. Propranolol e primidona foram também recomendados para tremores na cabeça, embora não tão intensamente quanto foi recomendado para tremores dos membros. A análise também encontrou evidências que encorajam o uso de outros medicamentos para tratar tremores dos membros. Sotalol ou atenolol – drogas usadas para regular pressão sangüínea – podem ser usadas como alternativas para o propranolol e primidona. As drogas anti-convulsivas gabapentina (como monoterapia) e topiramato também foram recomendadas. O painel descobriu moderada evidência para recomendar injeções de toxina A botulínica para tremores de membros, cabeça ou voz. A cirurgia pode ser recomendada se o tratamento com drogas for ineficiente para tremores dos membros. Estimulação cerebral profunda tem complicações menos severas do que talamotomia, de acordo com a diretriz. Na estimulação cerebral profunda, um ELETRODO finíssimo é colocado dentro do tálamo, o que ajuda a bloquear os impulsos que causam tremores. A talamotomia lesiona uma pequena parte do tálamo, o que ajuda a suspensão dos sinais que causam tremores. “Ambas as cirurgias foram mais eficientes do que os medicamentos na melhoria dos tremores, reduzindo sua intensidade em 60 a 90%, comparado com 50% ou menos para os medicamentos”, disse Dr. Zesiewicz. “Entretanto, pacientes que se submeteram à cirurgia tiveram mais efeitos colaterais adversos e, portanto, o procedimento é apenas recomendado para aqueles que não respondem aos medicamentos”.



180 visualizações0 comentário