top of page

Uma v@c C-19 é encontrada para proteger contra infecções e danos cerebrais causados pelo virus





Uma nova v@c contra a C19 desenvolvida por pesquisadores do CNB-CSIC parece proteger contra a infecção do cérebro e sintomas neurológicos associados ao coronavírus.


Fonte: Universidade de Sevilha

Embora a patologia do sistema respiratório seja o principal impacto da COVID-19, muitos pacientes também manifestam sintomas neurológicos importantes, como perda de olfato (anosmia), dores de cabeça, mal-estar, perda cognitiva, epilepsia, ataxia e encefalopatia, entre outros.

No entanto, esse efeito sobre o sistema nervoso pelo coronavírus não foi caracterizado em detalhes e não se sabe se as vacinas desenvolvidas contra a COVID-19 impedem a disseminação do SARS-CoV-2 para o sistema nervoso central e conferem proteção contra lesões cerebrais.

Agora, usando um modelo de rato suscetível à infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2, uma equipe multidisciplinar de pesquisadores espanhóis liderada pelo Dr. Javier Villadiego e Dr. Juan José Toledo-Aral (IBiS, CIBERNED e Departamento de Fisiologia Médica e Biofísica da Faculdade de Medicina de Sevilha) e Juan García-Arriaza (Departamento de Biologia Molecular e Celular do CNB-CSIC, CIBERINFEC e PTI Saúde Global do CSIC), em colaboração com outros grupos da Universidade de Sevilha e do Conselho Nacional de Pesquisa da Espanha (CSIC), demonstram a capacidade do SARS-CoV-2 de infectar diferentes regiões do cérebro e causar danos cerebrais, e como a vacina CNB-CSIC protege totalmente contra a infecção do cérebro.

Estes resultados foram publicados na Nature Neuroscience.

Pesquisadores têm estudado a evolução da infecção viral em diferentes regiões do cérebro, observando que a replicação viral ocorre principalmente nos neurônios, produzindo alterações neuropatológicas como perda neuronal, ativação glial e danos vasculares.

"Realizamos um estudo anatomopatológico e molecular muito detalhado das regiões cerebrais e dos tipos de células que foram infectadas pelo vírus. É notável como o vírus infecta diferentes áreas e principalmente neurônios", explica Javier Villadiego.

Uma vez estabelecido o padrão de infecção no cérebro pelo SARS-CoV-2, os pesquisadores avaliaram a eficácia da vacina contra a COVID-19 desenvolvida no CNB-CSIC. Para fazer isso, eles imunizaram camundongos com uma ou duas doses da vacina MVA-CoV2-S, com base no vírus vaccinia modificado Ankara (MVA) expressando a proteína spike (S) do SARS-CoV-2, e analisaram a capacidade de proteger contra infecções e danos ao cérebro.

"Os resultados obtidos foram espetaculares, demonstrando que mesmo a administração de uma dose única da vacina MVA-CoV2-S previne completamente Estes resultados reforçam dados anteriores sobre a imunogenicidade e eficácia da vacina MVA-CoV2-S em vários modelos animais.

"Já tínhamos mostrado numa série de publicações que a vacina MVA-CoV2-S que desenvolvemos no CNB-CSIC induz em três modelos animais (rato, hamster e macaco) uma potente resposta imunitária de anticorpos ligados à proteína S do vírus e de anticorpos neutralizantes contra diferentes variantes de preocupação do vírus, bem como a ativação de linfócitos T, marcadores essenciais para o controle de infecções", diz Mariano Esteban, pesquisador do CNB-CSIC envolvido no estudo.

Os resultados têm importantes implicações a longo prazo para a compreensão da infecção causada pelo SARS-CoV-2. "Os dados que obtivemos sobre a infecção por SARS-CoV-2 no cérebro são compatíveis com a patologia neurológica observada em pacientes com COVID-19", diz José López-Barneo, pesquisador do IBiS que participou da publicação.

"Nosso trabalho é o primeiro estudo de uma vacina que é 100% eficaz contra danos cerebrais causados pelo SARS-CoV-2 em um rato suscetível, e os resultados obtidos sugerem fortemente que a vacina poderia prevenir a COVID-19 persistente observada em várias pessoas infectadas com SARS-CoV-2", diz Juan José Toledo-Aral.

A infecção por SARS-CoV-2 em todas as regiões do cérebro estudadas e previne danos cerebrais associados, mesmo após uma reinfecção com o vírus. Isso demonstra a grande eficácia e o poder imunogênico da vacina que induz a imunidade esterilizante no cérebro", diz Juan García-Arriaza.

Estes resultados reforçam dados anteriores sobre a imunogenicidade e eficácia da vacina MVA-CoV2-S em vários modelos animais.

"Já tínhamos mostrado numa série de publicações que a vacina MVA-CoV2-S que desenvolvemos no CNB-CSIC induz em três modelos animais (rato, hamster e macaco) uma potente resposta imunitária de anticorpos ligados à proteína S do vírus e de anticorpos neutralizantes contra diferentes variantes de preocupação do vírus, bem como a ativação de linfócitos T, marcadores essenciais para o controle de infecções", diz Mariano Esteban, pesquisador do CNB-CSIC envolvido no estudo.

Os resultados têm importantes implicações a longo prazo para a compreensão da infecção causada pelo SARS-CoV-2. "Os dados que obtivemos sobre a infecção por SARS-CoV-2 no cérebro são compatíveis com a patologia neurológica observada em pacientes com COVID-19", diz José López-Barneo, pesquisador do IBiS que participou da publicação.

"Nosso trabalho é o primeiro estudo de uma vacina que é 100% eficaz contra danos cerebrais causados pelo SARS-CoV-2 em um rato suscetível, e os resultados obtidos sugerem fortemente que a vacina poderia prevenir a COVID-19 persistente observada em várias pessoas infectadas com SARS-CoV-2", diz Juan José Toledo-Aral.

"Os dados fornecidos neste estudo com a inibição completa da replicação do SARS-CoV-2 no cérebro mediada pela vacina MVA-CoV2-S, juntamente com estudos anteriores publicados pelo grupo e colaboradores sobre a imunogenicidade e eficácia da vacina contra diferentes variantes do SARS-CoV-2, apoiam ensaios clínicos de fase I com tal vacina, ou protótipos semelhantes, para avaliar a sua segurança e imunogenicidade, ", enfatizam os autores do estudo.

Original Research:

“Full protection from SARS-CoV-2 brain infection and damage in susceptible transgenic mice conferred by MVA-CoV2-S vaccine candidate” by Javier Villadiego et al. Nature Neuroscience

242 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page