"Follow the Science" Siga a Ciência, uma fonte potente de autoridade para os políticos




POR NATHAN WORCESTER

10 de dezembro de 2021

Para ouvir a forma como alguns políticos falam, quando se trata de COVID-19,todos eles estão "Seguindo a Ciência", sem mencionar "Os Dados".

"Olhe para os dados. Siga a ciência. Ouça os especialistas. Seja esperto", tuitou o agora ex-governador de Nova York Andrew Cuomo em maio de 2020, depois de "Duas Semanas para Achatar a Curva" ter sido totalmente transicionada para "O Novo Normal".

"Estamos operando em fatos, dados e ciência desde o início", disse o governador de Illinois J.B. Pritzker em um anúncio de campanha intitulado simplesmente, "Siga a Ciência".

O presidente Joe Biden tem frequentemente apelado para "A Ciência". Em uma ordem executiva anunciando um mandato de vacina para trabalhadores federais, por exemplo, ele disse que seu governo usou "os melhores dados disponíveis e medidas de saúde pública baseadas em ciência". Em um artigo criticando o movimento de Biden para pressionar os impulsionadores de vacinas em setembro deste ano, Lev Facher, da StatNews, descreveu "Follow The Science" como "um mantra" para a administração.

O conselheiro médico chefe da Casa Branca no COVID-19 Dr. Anthony Fauci está no National Institutes of Health (NIH) em Bethesda, Md., em 11 de fevereiro de 2021. (Saul Loeb/AFP via Getty Images)

"A Ciência" surgiu muito antes de 2020 como uma fonte potente de autoridade para os políticos. No entanto, embora o método científico seja uma ferramenta poderosa para o avanço do potencial humano, a crença de que ele sozinho pode nos guiar é um exemplo de "cientificismo".

O cientificismo é, nas palavras do intelectual público Scott Masson, "a crença de que julgamentos morai