top of page

Perda de óxido nítrico: o fator mais importante que afeta a saúde cardiovascular




O óxido nítrico (NO) é uma das moléculas de sinalização mais importantes do nosso corpo envolvidas em praticamente todos os sistemas de órgãos. Alguns pesquisadores dizem que há uma progressão muito clara da doença cardiovascular que começa com a perda da produção de NO.

Toda doença relacionada à idade e toda doença crônica – quer se manifeste no rim, no cérebro, no coração ou no fígado – tem um componente vascular, explicou Nathan S. Bryan, Ph.D., líder internacional em medicina molecular e bioquímica de óxido nítrico. Bryan diz que o traço comum que todos eles compartilham é a falta de sangue rico em oxigênio que atinge uma parte do corpo e isso depende do óxido nítrico.

A falta de produção de NO pode levar à pressão alta, disfunção sexual e doença vascular inflamatória crônica, levando a ataque cardíaco, derrame ou insuficiência cardíaca.

O corpo naturalmente começa a produzir menos óxido nítrico à medida que envelhecemos, mas essa perda gradual de NO pode ser acelerada ou retardada com base no estilo de vida e dieta individuais.

Notavelmente, todas as condições mencionadas acima demonstraram ser melhoradas por intervenções dietéticas de nitrito e nitrato. É importante saber, no entanto, que, enquanto alguns alimentos naturais ricos nesses compostos geralmente são bons para sua saúde, outros, como carnes processadas, podem criar problemas, especialmente quando cozidos em fogo alto, o que pode transformar nitrito e nitrato em nitrosaminas problemáticas.

Saber o que pode prejudicar a capacidade do nosso corpo de criar NO e adotar hábitos saudáveis, como uma boa dieta e exercício, pode prolongar a inevitável queda na produção de NO com a idade e prevenir doenças relacionadas à idade e doenças crônicas, particularmente doenças cardiovasculares.


Essencial para a sua saúde

O Dr. Caldwell Esselstyn, renomado diretor do Programa de Reversão de Doenças Cardíacas da Cleveland Clinic, descreve o óxido nítrico como o fator mais importante que afeta a saúde cardiovascular, enfatizando que a função mais importante do NO é a vasodilatação.

Isso significa que ajuda os músculos internos dos vasos sanguíneos a relaxar e alargar, permitindo que o sangue se mova livremente e fornecendo oxigênio e nutrientes para todo o corpo de forma mais eficiente.

Esselstyn também destaca vários outros de seus benefícios notáveis que incluem:

· Combate à inflamação: NO previne a inflamação e o espessamento arterial que podem restringir o fluxo sanguíneo, causar hipertensão e aumentar a carga de trabalho em seu coração.

· Preventor de placa: NO reduz a viscosidade do LDL e outros elementos em nosso sangue que leva ao acúmulo de placa em nossas artérias.

O NO também tem um profundo valor preditivo para a progressão da doença de Alzheimer. O denominador comum em qualquer distúrbio cerebral / neurológico é uma perda de regulação do fluxo sanguíneo, e isso é tudo dependente de NO. A doença de Alzheimer e a demência vascular reduziram o fluxo sanguíneo para o córtex pré-frontal.

Quando você não pode fazer NÃO, você perde a regulação, e isso afeta todos os órgãos do seu corpo.


Coisas que afetam nossa produção NO

Está bem estabelecido que o microbioma de bactérias orais e intestinais desempenha um papel na produção de NO. Por causa disso, qualquer coisa que destrua suas bactérias benéficas pode fazer com que sua pressão arterial suba e coloque-o em maior risco de ataque cardíaco, derrame e demência.

"As glândulas salivares e as bactérias orais desempenham um papel essencial no processo de conversão de nitrato (NO3-) e nitrito (NO2-) em óxido nítrico (NO) no corpo humano", observa um estudo de revisão publicado no Journal of Dental Research.

Isso significa que os enxaguantes bucais antissépticos podem reduzir a produção de NO, eliminando as bactérias produtoras de nitrato entre o microbioma oral.

Um estudo publicado na Frontiers in Cellular and Infection Microbiology em 2019, adverte que a pesquisa descobriu que "antissépticos orais resultaram em aumentos na pressão arterial sistólica".

O estudo analisou especificamente a clorexidina, um antisséptico usado em enxaguantes bucais.

"O uso de clorexidina duas vezes ao dia foi associado a um aumento significativo na pressão arterial sistólica após 1 semana de uso e a recuperação do uso resultou em um enriquecimento de bactérias redutoras de nitrato na língua".

Em outras palavras, a pressão arterial aumentou quando as pessoas a usaram e caiu dentro de uma semana depois que pararam e as bactérias úteis repovoaram suas línguas.

Os antibióticos orais também podem perturbar essas bactérias, uma vez que não só matam as bactérias ruins, mas também as boas em seu microbioma intestinal. O mesmo vale para sabonetes antibacterianos e desinfetantes para as mãos.

A pesquisa descobriu que os inibidores da bomba de prótons (IBPs) também diminuem o NO e estão ligados a um risco significativamente aumentado de ataque cardíaco e derrame.


Sinais de NO diminuído

Normalmente, a produção normal de NO cai muito antes de um diagnóstico ser possível e, por isso, é importante procurar sintomas e tomar medidas para resolver qualquer deficiência.

Uma diminuição na produção de NO levará a uma diminuição no fluxo sanguíneo e, clinicamente, isso se manifesta de várias maneiras:

· Aumento da pressão arterial.

· Doença vascular inflamatória crônica com deposição de placa no revestimento dos vasos sanguíneos.

· As artérias tornam-se disfuncionais.

· Disfunção erétil em homens.

· Disfunção sexual feminina vasculogênica.

Devido ao papel crítico do NO em manter o sangue fluindo através das veias, uma redução pode levar a ataques cardíacos ou derrames, os principais assassinos de homens e mulheres em todo o mundo.

SEM Alimentos de Apoio

Se você não está recebendo nitrito suficiente em sua dieta, isso o coloca em risco de todas as doenças degenerativas crônicas e relacionadas à idade.

Adotar hábitos saudáveis, como uma boa dieta e exercícios, pode prolongar a queda vertiginosa na produção de NO com a idade. Aqui estão alguns alimentos que ajudam a apoiar e aumentar a produção de óxido nítrico do seu corpo.


A beterraba tem uma das maiores concentrações de nitrato dietético no ranking do reino vegetal, logo após as folhas verdes. Em um estudo, os participantes que receberam 70 mililitros (4 colheres de sopa) de suco de beterraba mostraram ter níveis elevados de NO em 21,3% após 45 minutos e 20,3% após 90 minutos.




Vegetais de folhas verdes contêm grandes quantidades de nitratos, que são convertidos em NO em seu corpo. Um estudo mostrou que comer uma refeição rica em nitrato contendo espinafre aumentou os níveis de nitrato salivar oito vezes. O grupo de estudo também apresentou elasticidade arterial significativa e diminuição da pressão arterial sistólica. O estudo concluiu que "uma refeição rica em nitrato pode reduzir a pressão arterial sistólica e a pressão de pulso e aumentar a complacência das grandes artérias agudamente em homens e mulheres saudáveis".


Um estudo descobriu que o extrato de alho envelhecido aumentou temporariamente a produção de NO em 30-40 por cento de 15 a 60 minutos após a administração.



A carne é uma excelente fonte de CoQ10, que é mostrado para aumentar os níveis de NO. Estudos mostram que obter CoQ10 suficiente em sua dieta pode ajudar os atletas a ter um melhor desempenho, se recuperar mais rapidamente e prevenir lesões.


O chocolate escuro (pelo menos 70% de cacau) é uma ótima fonte de polifenóis, que atuam como antioxidantes e neutralizam os radicais livres.

Pesquisas mostram que os flavanóis encontrados no cacau podem ajudar a manter os níveis ideais de NO em seu corpo, o que é mostrado para baixar a pressão arterial e promover a saúde cardiovascular.


As frutas cítricas são uma ótima fonte de vitamina C. A vitamina C pode aumentar a quantidade de NO em seu corpo, o que pode melhorar a maneira como os vasos sanguíneos funcionam.



Nozes e sementes são fontes de L-arginina, um aminoácido que desempenha um papel na produção de óxido nítrico. Por exemplo, um estudo mostrou que comer alimentos ricos em L-arginina foi associado a níveis mais elevados de NO.


NO Liberando Estratégia de Treino

A pesquisa descobriu que o exercício é uma das maneiras mais importantes de aumentar o óxido nítrico disponível.

"O exercício regular ajuda as artérias, aumentando a produção de óxido nítrico das células endoteliais", observa um artigo na Harvard Health.

"Há evidências concretas de que a atividade física aumenta a produção de NO [óxido nítrico]", conclui um estudo publicado no The Journal of Sports Medicine and Physical Fitness em 2021.

O Dr. Zach Bush é um médico especializado em medicina interna, endocrinologia e cuidados paliativos. Você pode encontrar seu The Four Minute Workout facilmente online. Ele é projetado para maximizar a capacidade do corpo de regenerar o NO, exercitando os 16 maiores grupos musculares do seu corpo em apenas quatro minutos.

Como os vasos sanguíneos armazenam apenas cerca de 90 segundos de NO antes de precisarem fabricar mais, trabalhar cada grupo muscular principal por 90 segundos oferece o treino mais eficiente para tonificar e construir músculos.

O corpo também pode regenerar NÃO a cada duas horas, então Bush diz que, por causa disso, "a maneira mais eficaz de aumentar sua função muscular é se exercitar muito brevemente a cada poucas horas".



ORIGINAL RESEARCH article

Front. Cell. Infect. Microbiol., 01 March 2019

Sec. Microbiome in Health and Disease

Volume 9 - 2019 | https://doi.org/10.3389/fcimb.2019.00039

This article is part of the Research Topic

Saliva and Oral Microbiota: From Physiology to Diagnostic and Therapeutic Implications


View all 15 Articles

Frequency of Tongue Cleaning Impacts the Human Tongue Microbiome Composition and Enterosalivary Circulation of Nitrate

Gena D. Tribble1*, Nikola Angelov1, Robin Weltman1, Bing-Yan Wang1, Sridhar V. Eswaran1, Isabel C. Gay1†, Kavitha Parthasarathy1, Doan-Hieu V. Dao1, Katherine N. Richardson1, Nadia M. Ismail1, Iraida G. Sharina2, Embriette R. Hyde3, Nadim J. Ajami4,5†, Joseph F. Petrosino4,5 and Nathan S. Bryan6*

1Department of Periodontics, School of Dentistry, The University of Texas Health Science Center Houston, Houston, TX, United States

2Division of Cardiology, Department of Internal Medicine, McGovern Medical School, The University of Texas Health Science Center Houston, Houston, TX, United States

3SynBioBeta, Pleasant Hill, CA, United States

4Alkek Center for Metagenomics and Microbiome Research, Baylor College of Medicine, Houston, TX, United States

5Department of Molecular Virology and Microbiology, Baylor College of Medicine, Houston, TX, United States

6Department of Molecular and Human Genetics, Baylor College of Medicine, Houston, TX, United States

The oral microbiome has the potential to provide an important symbiotic function in human blood pressure physiology by contributing to the generation of nitric oxide (NO), an essential cardiovascular signaling molecule. NO is produced by the human body via conversion of arginine to NO by endogenous nitric oxide synthase (eNOS) but eNOS activity varies by subject. Oral microbial communities are proposed to supplement host NO production by reducing dietary nitrate to nitrite via bacterial nitrate reductases. Unreduced dietary nitrate is delivered to the oral cavity in saliva, a physiological process termed the enterosalivary circulation of nitrate. Previous studies demonstrated that disruption of enterosalivary circulation via use of oral antiseptics resulted in increases in systolic blood pressure. These previous studies did not include detailed information on the oral health of enrolled subjects. Using 16S rRNA gene sequencing and analysis, we determined whether introduction of chlorhexidine antiseptic mouthwash for 1 week was associated with changes in tongue bacterial communities and resting systolic blood pressure in healthy normotensive individuals with documented oral hygiene behaviors and free of oral disease. Tongue cleaning frequency was a predictor of chlorhexidine-induced changes in systolic blood pressure and tongue microbiome composition. Twice-daily chlorhexidine usage was associated with a significant increase in systolic blood pressure after 1 week of use and recovery from use resulted in an enrichment in nitrate-reducing bacteria on the tongue. Individuals with relatively high levels of bacterial nitrite reductases had lower resting systolic blood pressure. These results further support the concept of a symbiotic oral microbiome contributing to human health via the enterosalivary nitrate-nitrite-NO pathway. These data suggest that management of the tongue microbiome by regular cleaning together with adequate dietary intake of nitrate provide an opportunity for the improvement of resting systolic blood pressure.


186 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page