top of page

Poucas pessoas parecem encontrar alegria real em JOMO




As pessoas que gostam de experimentar o JOMO, a "alegria em ficar por fora", tendem a ter níveis mais altos de ansiedade social, relata um novo estudo.

Fonte: Universidade Estadual de Washington

A maioria das pessoas que classificaram alto em "alegria em ficar por fora" ou JOMO também relataram altos níveis de ansiedade social em um estudo recente liderado pela Universidade Estadual de Washington.

O termo JOMO foi popularizado como um prazer saudável de solidão em oposição quase direta ao FOMO negativo, o "medo de ficar por fora" que as pessoas podem ter ao ver os outros tendo experiências divertidas sem elas. Em uma análise de duas amostras de adultos, os pesquisadores encontraram resultados mistos quando se trata de JOMO, com evidências de que há alguma ansiedade por trás da alegria.

"Em geral, muitas pessoas gostam de estar conectadas", disse Chris Barry, professor de psicologia da WSU e principal autor do artigo publicado na Telematics and Informatics Reports.

"Ao tentar avaliar o JOMO, descobrimos que algumas pessoas estavam gostando de perder, não pela solidão ou por uma experiência zen e calmante de poder se reagrupar, mas mais para evitar a interação social."

Isso também pode explicar a correlação encontrada entre o JOMO e o uso de mídias sociais, um resultado que surpreendeu os pesquisadores que esperavam que as pessoas que queriam perder eventos sociais não se importassem em verificar o que amigos e familiares estavam fazendo.

Barry disse que uma possível explicação é que, para aqueles com ansiedade social, a mídia social pode parecer uma maneira menos intensa de se conectar do que a interação pessoal.

Barry e seus coautores realizaram pesquisas com dois conjuntos diferentes de cerca de 500 participantes cada, recrutados através da plataforma de crowdsourcing da Amazon, MTurk.

Para medir o JOMO, os pesquisadores fizeram uma série de perguntas sobre como passar o tempo sozinhos e a desconexão, como se os participantes gostavam de tempo para se auto-refletir e se estavam felizes em ver amigos se divertindo, mesmo que não estivessem com eles.

A pesquisa também incluiu perguntas destinadas a avaliar a solidão, a ansiedade social, o uso de mídias sociais, traços de personalidade e satisfação com a vida.

O estudo da primeira amostra revelou conexões entre aqueles com alto nível de JOMO com o uso de mídias sociais e a satisfação com a vida, mas a ansiedade social teve a correlação mais forte.

Com esses resultados mistos, a equipe projetou um segundo estudo para ver se eles poderiam encontrar um grupo de pessoas com alto nível de JOMO, mas sem ansiedade social. Eles os encontraram, mas esse grupo era pequeno, representando cerca de 10% dos participantes. Embora não seja socialmente ansioso, este grupo de alto JOMO ainda relatou alguns sentimentos moderados de solidão.

Embora outras pesquisas tenham ligado o medo de perder à baixa autoestima e solidão, essas descobertas indicam que a experiência da alegria de perder não é tão clara. Barry sugeriu que o JOMO pode não ser um estado estável ou ligado a traços de personalidade, mas sim uma fase momentânea de necessidade de desconexão.

"Há muitas perguntas não respondidas como 'o que é uma boa dose de interação social versus desengajamento?' Acho que isso vai diferir para todos", disse Barry.

Pesquisas anteriores mostraram que, para pessoas com ansiedade, a exposição contínua à coisa sobre a qual estão ansiosas pode ajudar a diminuir esse estresse – portanto, para aqueles com ansiedade social, mais interação, não menos, é melhor.

"Os motivos importam", disse Barry. "Por que as pessoas estão perdendo? Se é porque eles precisam recarregar, isso talvez seja uma coisa boa. Se eles estão tentando evitar algo, isso provavelmente não é saudável a longo prazo."


Author: Sara Zaske

Source: Washington State University

Original Research: Open access.

“JOMO: Joy of missing out and its association with social media use, self-perception, and mental health” by Chris Barry et al. Telematics and Informatics Reports



180 visualizações0 comentário
bottom of page